Francisco Carlos reforça importância da educação contra violência

por Nicole Maria de Abreu e Silva publicado 20/03/2017 08h05, última modificação 20/03/2017 08h05
Para o vereador, construção de escolas e educação em tempo integral, por exemplo, precisam ser relacionadas como ações de enfrentamento à violência.
Francisco Carlos reforça importância da educação contra violência

Foto: Edilberto Barros

O vereador Professor Francisco Carlos (PP) reafirmou que não é somente policiamento que vai resolver o problema da violência, e que educação tem papel fundamental para redução da criminalidade. O argumento foi apresentado na audiência pública sobre segurança pública, na tarde/noite desta quinta-feira, na Câmara Municipal de Mossoró.

Como a desigualdade social está na raiz da escalada da criminalidade, segundo ele, construção de escolas e educação em tempo integral, por exemplo, precisam ser relacionadas como ações de enfrentamento à violência. “A questão não apenas mais viaturas, e sim mais escolas”, assinalou.


Estatísticas

O vereador se mostrou alarmado com números da insegurança. Ilustrou que, entre 1980 e 2014, o Brasil subiu no ranking mundial de assassinatos da posição 8.710ª para 4.486ª e que, nesse período, os homicídios aumentaram 415% e a população, 65%. “Ou seja, o aumento populacional em si não justifica nem explica o crescimento da criminalidade”, ponderou.

No Rio Grande do Norte, segundo ele, as mortes por arma de fogo aumentaram 445% entre 2000 e 2014 – o maior aumento entre os Estados do Nordeste, e o RN saltou da 18ª posição para a 4ª no ranking de homicídios, com Mossoró no 50ª lugar na lista nacional de assassinatos, segundo o Mapa da Violência.


Caminhos

“O maior responsável é a desigualdade social, e não a pobreza, porque existem países mais pobres com violência menor. Gana, por exemplo, onde a pobreza é maior que no Brasil, a violência é de cinco a seis vezes menor que no Brasil”, disse Francisco Carlos, acrescentando que, no Brasil, jovens de 19 anos que passaram até 8 anos na escola morrem até cinco vezes mais do que os com mais estudo.

“Isto é, é clara a relação entre a desigualdade social e educação com o aumento da violência. É evidente que precisamos de mais recursos para a área de segurança pública, mas necessitamos também de mais investimento na educação para fazer frente ao aumento da criminalidade”, frisou Francisco Carlos.

 

Assessoria de Comunicação vereador Francisco Carlos

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.