Câmara debate situação do transporte público em Mossoró

por Amanda Santana Balbi publicado 27/04/2017 13h04, última modificação 27/04/2017 13h04
A audiência foi uma proposição da vereadora Aline Couto (PHS) e atende a um pedido da empresa Cidade do Sol, que realiza o transporte público de passageiros em Mossoró desde 2016.
Câmara debate situação do transporte público em Mossoró

Foto: Edilberto Barros

A Câmara Municipal de Mossoró realizou, nesta quinta-feira (27/04), audiência pública para discutir a situação do transporte público coletivo em Mossoró. A audiência foi uma proposição da vereadora Aline Couto (PHS) e atende a um pedido da empresa Cidade do Sol, que realiza o transporte público de passageiros em Mossoró desde 2016. “Nosso mandato reconhece a importância de se oferecer um transporte público de qualidade, principalmente para os estudantes e pessoas mais humildes. Por este motivo, fizemos a proposta para realizar esta audiência.”, destacou a vereadora.

Waldemar Araújo, diretor da empresa Cidade do Sol, falou das dificuldades enfrentadas pela empresa. “Desde que começamos, nós nos preocupamos com a pontualidade. Começamos o serviço quando o país enfrentava uma crise financeira e econômica profunda. Mas, mesmo com essas dificuldades, estamos oferecendo um serviço de qualidade”, destacou.

Para Waldemar, o maior empecilho para se manter um transporte público de qualidade em Mossoró é a concorrência desleal com os transportes clandestinos. Para combater a ilegalidade, o diretor da Cidade do Sol cobra fiscalização do poder público.  “O transporte ilegal desequilibra o sistema de transporte. Fazemos 39% de gratuidade. Enquanto o transporte ilegal só transporta pagantes. Precisamos do passageiro pagante para manter a gratuidade pros idosos e deficientes físicos.”, afirmou.

O presidente do Sindicado do Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Cargas e Passageiros de Mossoró e Região (SINTROM/RN), Francisco de Assis, considera que o transporte público em Mossoró nunca foi prioridade. “Várias empresas passaram por Mossoró, mas o descaso com o transporte público não deixou que prosperassem. Estamos torcendo para que essa audiência seja o pontapé para mudar a situação. Quem sofre sem o transporte público são os estudantes, os idosos, os mais pobres e os motoristas de ônibus, que acabam sofrendo com o desemprego.”, declarou.

Prefeitura

O secretário de Segurança Pública e Mobilidade Urbana de Mossoró, Elieser Girão, participou da audiência representando a Prefeitura Municipal e citou as medidas que já estão sendo tomadas para incentivar a manutenção do transporte público na cidade. “As fiscalizações estão acontecendo e o pagamento do subsídio da empresa está listado como prioridade. Vamos dar continuidade ao projeto Zona Azul, que deve melhorar o trânsito no Centro de Mossoró e incentivar o uso dos ônibus pela população.”, disse.

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.