Izabel Montenegro reitera não ter mudado de posição

por Regy Carte publicado 11/12/2019 12h54, última modificação 11/12/2019 12h54
Presidente responde colocação do vereador Alex do Frango
Izabel Montenegro reitera não ter mudado de posição

Vereadora Izabel Montenegro na tribuna, nesta quarta-feira, 11 (foto Edilberto Barros/CMM)

A presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Izabel Montenegro (MDB), reiterou, em pronunciamento na sessão de hoje (11), não ter mudado de posição política em virtude da nomeação de filha em cargo do Município, como dito pelo vereador Alex do Frango (PMB) em entrevista.

Lembrou ter defendido a prefeita Rosalba Ciarlini na campanha eleitoral de 2016 e que continuo a fazê-lo na Câmara. “Portanto, não mudei de postura”, asseverou a vereadora, acrescentando que tal condição, no entanto, não interfere na sua condução dos trabalhos de plenário.

Sobre a nomeação da filha Thereza Raquel para Procuradoria Geral do Município, Izabel Montenegro disse não haver irregularidade, que ela tem habilitação para o cargo é, aliás, o único membro da sua família a ter posto comissionado na Prefeitura Municipal de Mossoró.

“Diante disso, peço respeito à minha pessoa e como mãe, peço respeito à minha família, para que continuemos a trabalhar em prol de Mossoró, respeitando as posições políticas de cada um. E que possamos ter boa convivência pessoal, apesar das diferenças políticas”, disse.

Apartes

O vereador Ricardo de Dodoca (Pros) demonstrou solidariedade a Izabel Montenegro. “Sua filha merece o cargo, formou-se em Direito e não há nada escondido, está publicado no JOM (Jornal Oficial do Município)”, observou. Na mesma linha, seguiu o vereador Tony Cabelos (PSD).

O vereador Professor Francisco Carlos (PP) reforçou apelo para que haja, entre os vereadores, respeito à posição política e ao espaço familiar e pessoal de cada um. “Podemos ter divergências, mas dentro de uma margem de moderação, sem excessos”, ponderou.

O vereador Raério (sem partido) afirmou nunca ter faltado respeito com ninguém, e o vereador Alex do Frango disse não imaginar que o assunto fosse provocar celeuma. “Se a senhora entendeu dessa forma, como ofensa, peço desculpas, porque não é da minha conduta”, redimiu-se.

Já o vereador Alex Moacir (MDB) lamentou o ocorrido, solidarizou-se à presidente e defendeu relação harmônica, de respeito ao contraditório. Por fim, o vereador Petras (DEM) também fez o mesmo. “Para defender ideia ou posição, não precisa faltar com respeito a ninguém”, concluiu.