Prefeitura de Mossoró: 80% dos terceirizados estão em dia

por Regy Carte publicado 11/12/2018 18h20, última modificação 11/12/2018 18h23
Informação foi revelada em audiência pública, nesta terça-feira
Prefeitura de Mossoró: 80% dos terceirizados estão em dia

Audiência pública discutiu situação de terceirizados (foto: Edilberto Barros/CMM)

Audiência pública, na Câmara Municipal de Mossoró, na tarde desta terça-feira (11), ajudou a esclarecer situação de servidores terceirizados em Mossoró. O secretário municipal de Administração, Pedro Almeida Duarte, informou que 80% dos trabalhadores estão com salários em dia (mês de novembro pago).

Ele detalhou que, dos 516 servidores terceirizados na Prefeitura de Mossoró – empresas Conceito (196), Relenco (87), Troia (125) e Prime (108) –, apenas na Prime existem problemas salariais (20% do total). “No entanto, nos 24 meses da gestão Rosalba Ciarlini, a Prefeitura realizou 24 repasses à Prime”, assegura.

Segundo Almeida, o contrato entre a Prime e Prefeitura de Mossoró existe desde 2014. A controladora geral do município, Fátima Marques, acrescentou que o município deve e reconhece dívida com a Prime, de gestões anteriores, e que busca solução para as pendências. “Mas, nesses 24 meses da atual gestão, está sendo pago”, reforçou.

Além de Pedro Almeida e Fátima Marques, participaram da audiência pública a procuradora Geral do Município, Karina Ferreira, advogado Igor Campos (representante da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB).

Também a presidente do Sindicato dos Servidores Púbicos Municipais de Mossoró (Sindiserpum), Marleide Cunha, presidente e vice-presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio, Conservação, Higienização e Limpeza (Sindlimp), Aldeísa de Souza Pereira e Wilson Duarte Costa, respectivamente.

E ainda os vereadores Aline Couto, Izabel Montenegro (MDB), Ozaniel Mesquita (PR), Petras (DEM), Rondinelli Carlos (PMN), Alex Moacir (MDB), Raério (PRB), Genilson Alves (PMN), Manoel Bezerra (PRTB), Alex do Frango (PMB), Maria das Malhas (PSD), Emílio Ferreira (PSD), Sandra Rosado (PSDB), João Gentil e Tony Cabelos (PSD).

As ausências notadas foram do Ministério Público do Trabalho (MPT) e de empresas terceirizadas, em especial a Prime, citada como a única com atraso salarial. “Todos foram convidados, mas a Prime justificou ausência em virtude de participação em audiência no Ministério do Trabalho”, informa Aline Couto, proponente da audiência.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.