Raério traça comparativos entre gestão atual e do passado

por Regy Carte publicado 27/02/2019 13h22, última modificação 27/02/2019 13h22
Problemas de hoje são heranças de outros governos, diz
Raério traça comparativos entre gestão atual e do passado

Vereador Raério na sessão desta quarta-feira, 27 (foto: Edilberto Barros/CMM)

Reagindo às críticas lançadas contra o Governo do Estado, que tem à frente a governadora Fátima Bezerra (PT), o vereador Raério Cabeção (PRB) usou a frase “sujo não pode falar do mal lavado”, para traçar um comparativo das críticas de hoje em relação a problemas oriundos do passado. Disse, inclusive, que sente a falta da então vereadora, hoje deputada estadual, Isolda Dantas (PT), que poderia assumir a trincheira do governo petista.

A queixa de Raério diz respeito às críticas em torno do Hospital Regional Tarcísio Maia. “Se hoje existe uma demanda maior no HRTM de responsabilidade do Estado, é culpa também da Prefeitura de Mossoró, que deixa faltar equipamento e melhor assistência no atendimento básico. Problemas simples poderiam ser resolvidos nas unidades básicas e deixar o atendimento de grandes complexidades para o hospital regional”, comentou Raério. Ele lembrou ainda que atual prefeita, Rosalba Ciarlini, também já esteve no cargo de governadora.

Em relação à questão da segurança pública, o vereador também discorda das críticas feitas ao Governo Fátima. Enquanto isso, lembrou Raério, em Mossoró, a Prefeitura fechou as Bases Integradas Cidadã (Bic) e, com isso, entende ele, não pode querer fazer comparações ou cobrar de um governo que ainda não sequer 100 dias de sua gestão.

Estrutura

Também em pronunciamento no grande expediente na sessão da quarta-feira, 27, o vereador Raério Cabeção manifestou sua preocupação com a estrutura de alguns serviços importantes da cidade. Chamou atenção para o bueiro existente na rua Marechal Hermes, que mostra sinais de deficiência e ameaça ceder por completo. “Cobro agora para depois não falarem que só faço criticar”, destacou.

Raério também alertou para as condições de precariedade dos cemitérios públicos de Mossoró. No centro da cidade, o cemitério São Sebastião completamente lotado dificulta o acesso, enquanto no chamado “novo cemitério”, o acesso é impedido pela lama após o período de chuva, o que poderia ser resolvido com a construção de uma praça. “Também alerto para a escuridão nos viadutos de Mossoró, um grave perigo para visitantes que não conhecem a cidade”, alerta.

 

Sérgio Oliveira – Diretoria de Comunicação.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.